02 março 2016

Se você bater essa porta, eu juro.




Eu fiquei sem palavras ao te ver sair, sem o chão quando te vi voltar.

E eu sei que vou chorar , biritar, quem sabe ler livros de auto-ajuda, tentar me entender, te entender. Tentar entender o "porquê "de você não me entender. Porque hoje é diferente, o céu está cinza. Não vê ? Estou caminhando debaixo da tempestade que você causou. Então não pise em cima da minha dor, você não está descalço. Tenha pudor. 

Estou no centro dessa dor,  e me dei um tapa forte na cara pra essa bagunça terminar. Porque se você bater essa porta, eu juro, eu não vou ter mais medo de te machucar.Estarei colocando na minha boca a verdade para te mostrar a verdadeira "saída sem volta".

Afaste-se de mim, antes de ter que mentir , juro, que assim que eu conseguir falar seu nome sem chorar e conseguir te ver sem enfartar, sem segurar a gola da minha camisa quando o nó na garganta apertar,você não vai precisar se preocupar em se atrasar, porque ai sim você estará entrando pela primeira vez em um jogo comigo,mas dessa vez não vai ganhar. 

Não deposite fichas na minha bondade. Não sou quem de verdade pareço, não sou quem acredita, eu não cai do céu.

Nunca pensei que doeria tanto um amor enterrado entre o "não" e o "sim". Você não sabe como doerá me ver como Monalisa, sem pranto e sem sorriso.

"É tão patético, necrótico, satírico, psicótico". 

Se você ainda sim não acredita em mim, e quer então correr o risco, verás que sou realmente boa em  fazer chorar a quem mais quero. 

Não estou aguentando a sua falta de reciprocidade.  A gente vai continuar nessa roda sem importar quantas voltas ele irá dá ? Eu vou te dizer a posição onde as cadeiras vão parar ! Basta só você bater essa porta , e eu juro, não vai ter mais o que resgatar.

Era inverno, você lembra? Bateu a porta e disse que ia voltar. E no inverno faz frio. Mas foi, porque ? Porque sabia que tudo aqui era seu. Forte, fraco, muito, pouco, só seu.
Se eu não me arriscar dessa vez a mudar, você vai bater a porta de novo - de novo e de novo - e depois voltará. E dessa vez meu caro, eu não vou tolerar.

Engana outra com teu papo, estou dizendo "adeus". Bata a porta, vamos ! Bata essa porta. Mas, guarde sua poesia para outra pessoa quando pensar em vir me enrolar, Dê o seu osso a um cachorro, estou dizendo "adeus". Não venha de novo suplicando perdão com suas lágrimas secas.

Estou renunciando aos seus "negócios" sujos. Bata essa porta, vamos!

Não siga clamando perdão. Eu não vou chorar de novo por você !









Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Mãe com Salto Alto. Todos os direitos reservados.
Editado por: La Cerejinha Design.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo