05 junho 2013

Vida de mãe

Oii meninas ! 

Quando respondi a Tag: Vida de mãe, que me enviaram, eu olhando umas matérias sobre esse tema, achei algo bem interessante em uma revista ( ÉPOCA) com uma matéria : Ter filhos traz mesmo felicidade ?  que gerou além de uma polêmica entre outras pessoas, também gerou em minha cabeça, porque se vocês observarem bem um trecho que tem lá  matéria ele diz assim :



TRECHO DA MATÉRIA : 


 Eis um problema: a paternidade, que deveria ser o momento mais feliz da vida dos casais – de acordo com tudo o que aprendemos –, na verdade nem sempre é assim. Ou, melhor dizendo, não é nada disso. Para boa parte dos pais e (sobretudo) das mães, filhos pequenos são sinônimo de cansaço, estresse, isolamento social e – não tenhamos medo das palavras – um certo grau de infelicidade. Ninguém fala disso abertamente. É feio. As pessoas têm medo de se queixar e parecer desnaturadas. O máximo que se ouve são referências ambíguas e cheias de altruísmo aos percalços da maternidade, como no chavão: “Ser mãe é padecer no Paraíso”. Muitas que passaram pelo padecimento não se lembram de ter visto o Paraíso e, mesmo assim, realimentam a mística. Costumam falar apenas do amor incondicional que nasce com os filhos e das alegrias únicas que se podem extrair do convívio com eles. A depressão, as rachaduras na intimidade do casal, as dificuldades com a carreira e o dinheiro curto – disso não se fala fora do círculo mais íntimo e, mesmo nele, se fala com cuidado. É tabu expor a própria tristeza numa situação que deveria ser idílica. 


Essa matéria é muito interessante, tem vários pontos interessantes mesmo e que são sim, alguns até reais, especificarei os que são reais em minha concepção.


 Mas o que não concordo é em uma coisa que me chamou muito a atenção: a palavra “infelicidade”, tá sendo posta várias vezes no texto, e em um texto que fala de filhos.


Pra  mim, ter filhos é  uma causa que você abraça, um estilo de vida que cada casal quer e mesmo que se não planeje cada casal leva do seu jeito e fica feliz por isso, porque filho é felicidade. É verdade que existe sim muita frustração, muito cansaço, muita angústia, muito medo, muita culpa, gastos e gastos … aquela vida (social, sexual que eu sempre falo nos videos …) que você tinha e que some , realmente muda rapidinho. Taí onde concordo com o texto. Isso é fato, porque mãe é renuncia , é de fato uma dedicação total. 


Mas, pelo menos na minha vida materna, “infelicidade” é uma coisa que não existe.E que se em algum momento, pelo menos comigo, eu pensasse nisso eu acho que eu ia me sentir super culpada,porque, olha só ...todos os outros sentimentos  já existiram nesse coraçãozinho aqui meninas, aqueles de cansaço, de medo, de frustração e tal , mais infelicidade ? JAMAIS


Nunca me senti “infeliz” em ser mãe.


Lembro que antes de me casar, algumas pessoas diziam “não faça isso!”  "não case" ou “pois é, tem gente que quer sair e tem gente que quer entrar”.  E quando anunciei que tava grávida do Pedro, o mesmo eu ouvi quando falei que estaria esperando um filho... Ou seja, as pessoas nos alertam sim, de maneira muito negativa e subjetiva, é verdade, mas alertam. 
E de verdade, não chegaram a me dizer com todas as letras assim : Thais, olha...é o seguinte. Essa sua vida sossegada, egoísta, livre, vai acabar quando você tiver filhos. Não disseram, mais é coisa que sim, acontece, e as outras pessoas não lhe dizem porque sabe que não vai adiantar muito e ser mãe é muito, mas muito mais difícil do que você pode imaginar, pode acreditar, eu to aqui pra dizer isso a vocês.
 E se talvez tivessem me falado sobre esses sentimentos ambíguos que temos durante toda a jornada da maternidade eu teria enfrentado as coisas de forma diferente, talvez eu estivesse mais preparada pra não chorar quando as coisas apertassem, embora eu ache, e todo mundo do meu lado também, que agarrei essa causa com classe e dedicação. Todo mundo só fala em troca de fraldas, dá banho, falta de sono, só ... só ! 
Me perguntam hoje como é ser mãe, e eu conto sim  os dois lados da moeda, o bom e o ruim.E acho que assim que tem que ser dito mesmo. Pra não enganar ninguém ... Mais infelicidade não, isso eu não senti , isso não é sentimento qualificado a uma criança, Pedro pra mim e pra toda minha familia só trouxe felicidade sempre, até nos momentos mais de perrengue. A matéria diz que deixamos de falar a verdade, que nos sentimos “infelizes”, por vergonha. 
Não concordo ! Do mesmo que não tenho vergonha de dizer que é cansativo , é dedicação, é renuncia, e você precisa ta preparada pra isso ! Mais que todos esses turbilhões de sentimentos só lhe trarão ainda mais felicidade por ter conseguido alcançar tudo da maneira que tem que ser . Costumo sempre dizer : Sou a melhor mãe que possa ser, e sou feliz por isso ! 
No fundo, bem no fundo, todo mundo sabe que ser pai e ser mãe , principalmente mãe, é punk e que tem horas que temos vontade de largar tudo que estamos na hora , tirar a roupa e sair corrento até o  México kkkk e não há nada de vergonhoso em admitir isso não pessoal.Porque depois de todo esse sentimento , você tá ali, cuidando dele e se dedicando de novo... vergonhoso seria se você o abandona-se , ou o maltrata-se. ;)
Abaixo, respondi a tag : vida de mãe, 7 perguntinhas sobre maternidade, vamos conferir ?



Espero que tenham gostado ! 
Beeijos , Thais Lima ;)



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Mãe com Salto Alto. Todos os direitos reservados.
Editado por: La Cerejinha Design.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo