16 dezembro 2015

Cantinho da disciplina - Parte II

Desabafei em julho do ano passado nas redes sociais que o Pedro estava começando a fazer birras de verdade e assim deu tempo de eu flagrar uma sequência de fotos onde ele se jogava para o chão,batia, gritava, chorava! 

Esse momento me fez refletir seriamente sobre começar a colocá-lo de repouso no cantinho da disciplina.

Pedro estava birrento, cheio de vontades e quando era contrariado atirava as coisas para o chão, em cima da gente, querendo dar tapas nas coisas e as vezes batia na primeira pessoa ou coisa que estivesse na frente. Para piorar a cena toda, se jogava para trás e fazia aquela cara de quem estava com toda razão.
É ! meu filho havia deixado de ser aquele bebezinho bonzinho, simpático e fácil de lidar. Vale falar também que ele estava passando pela fase da adolescência do bebê, se quer saber mais clica ( AQUI ). 


Dando continuidade e  avaliando a minha situação e filtrando TODAS as opiniões que escutava todos os dias, resolvi desde que o Pedro entrou na escola ,(onde também se aplica o repouso) que numa próxima mal criação semelhante , de GRAU Intenso , ele iria conhecer o cantinho da disciplina em casa também.


No mesmo momento que fiz esse acordo comigo mesma, segurei firme a opinião e dei andamento ao meu objetivo. Mal criação aqui em casa não !

Motivo? O simples ! Precisamos educar nossos filhos de forma que eles nos respeitem e saibam escutar que na vida existem regras, em todo lugar que se for, se não, ele vai crescer uma criança sem limites e um adulto difícil de lhe dar.


Educar não é mesmo tarefa fácil e filho desafiar as regras está dentro da normalidade. Anormal mesmo seria se a criança aceitasse passivamente o primeiro "NÃO"  dos pais ou nunca obedecesse. 



Tudo começou com a terrível fase : Ele havia resolvido bater em tudo toda vez que eu dizia " Não ". Certo dia , pegou um copinho dele e tacou na minha cara. O primeiro aviso fiz calmamente:  "Filho , isso é errado, você não pode bater na mamãe, carinho ! "

Baixei ao tamanho dele, e falei que não podia “Na mamãe só se faz carinho” - eu disse. Fiz tudo como manda o figurino mas ele olhou pra mim e bateu de novo e GRITOU : NÃO !
E não teve conversa.

Peguei nele, coloquei num lugar que na hora me pareceu ideal porque minha casa era bem pequena e falei que ele ia ficar ali sentado pensando no que havia feito (essa parte eu sei que ele ainda não entendia perfeitamente como hoje,  mas tenho certeza que ele entendeu que eu estava chateada e que ele estava ali porque havia feito algo errado. Hoje tenho certeza depois que tudo passou. 

Primeiro segundo ele esperneou,  se levantou e tentou sair. Em silêncio peguei nele novamente e coloquei de volta no mesmo lugar, FIQUEI AO LADO DELE todo minuto.

"Filho, você está ai porque você bateu na mamãe, isso não pode fazer! " -Falei.



A cena com direito a choro e cabeçadas no chão se repetiu em menos de 1 minuto pelo menos umas 8 vezes, até que ele ficou onde coloquei e em silêncio olhando para mim. 

Demonstrar, com voz firme, que não gostou da atitude dele dá muito certo SIM. É preciso ter claro que quem está no comando são vocês (OS PAIS). 


Na hora pensei a tempo comemorar a minha vitória de quase alguns 10 minutos ao lado dele esperando que ele olhasse pra mim e me pedisse desculpa (como sempre fez ,desde que aprendeu a falar as palavrinhas). Pois sabem o que ele fez : NÃO MAMÃE! 


(O certo é que você o deixe apenas 1 minuto por idade, mas o momento foi realmente tão TENSO E INICIAL que até eu cansei e fiquei lá por 10 minutos pensando : Onde foi que eu errei ? kkk Sem ajuda a gente aprende sozinha !) 


As sanções ensinam que os repousos devem ser imediatos ao erro e de curta duração , e é preciso explicar a razão. "Só que cuidado com a verborragia" porque a  atenção da criança é curta, se você alongar muito as explicações, ela vai perder contato com a torre rápido.


Segurei o riso! Sim, porque no começo essas cenas dão mesmo é vontade de rir e não insisti mais naquele dia. Nos dias seguintes foi ficando mais fácil e me ACABEI literalmente sendo FIRME durante uns 15 dias consecutivos, até que ele se adaptou bem ao cantinho, vendo-o como um lugar onde ele iria ficar mesmo sempre que me desobedecesse. A fase do terrible two duraram alguns meses com ele,uns dois a três , mas sem dúvida alguma não durou mais por que os LIMITES foram bem estabelecidos lá em casa. 

Não é fácil. Só que independente do tempo que durar você precisa ser FIRME. É assim que resume. 

Em breve sairão as dicas de como ser firme na decisão nesse momento!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Mãe com Salto Alto. Todos os direitos reservados.
Editado por: La Cerejinha Design.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo